segunda-feira, 25 de abril de 2016

DILMA LUTOU PELA DEMOCRACIA OU POR UMA DITADURA DO PROLETARIADO?

DILMA LUTOU PELA DEMOCRACIA
OU POR UMA 

DITADURA DO PROLETARIADO?
 

Em primeiro lugar, o que vem a ser demo-cracia?
RESPOSTA: É lógico, é o povo no poder.


E o que vem a ser ditadura-do-proletariado?
RESPOSTA: Também significa os pobres, o povo (proletariado) no poder.  Governo com o povo empoderado: mandando, ditando.


É bem verdade, que muitas lutas pela democracia ou ditadura dos pobres desembocou em "tirania" !
E assim a palavra "ditadura" que de início significava apenas poder/governo, aquele quem dita, acabou virando sinônimo de "tirania".

http://micoleaodourado.blogspot.com.br/2016/04/dilma-lutou-pela-democracia-ou-por-uma.html
Quando Napoleão encabeçou uma luta popular pela liberdade, uma luta pelos menos favorecidos, ninguém poderia prever que se tornaria, ele próprio, um Monarca e Ditador.  Os ideais da Revolução Francesa que o embalaram foram pouco a pouco perdendo substância e foram sendo substituídos por práticas nada democráticas.


Mas esse desvirtuamento posterior - de Napoleão - esse afastamento dos ideais da Revolução Francesa não tiraram o brilho da famosa frase: 

"Liberdade, Igualdade e Fraternidade"
Foi nessa direção ideológica que os Estados Unidos fundaram sua nação.  A mesma ideologia que não funcionou na França que a criou.

http://jornalggn.com.br/noticia/fmi-pede-desculpas-por-ter-imposto-o-neoliberalismo-por-tres-decadasÉ nessa linha,  que dizemos que os ideais socialistas (substituir valor do capital pelo social) são puros e belos por natureza.  
Mas tudo dependerá do modo que for usado.  Até mesmo o Capitalismo poderá produzir bons resultados, desde que não seja o capitalismo selvagem
O Neoliberalismo.

A experiência neo-liberal, aqui no Brasil, mostrou-se traumática!  Quem viveu a era FHC, e não era da Elite Dominante, comeu o pão que o diabo amassou.  Ninguém, fora uns poucos privilegiados, quer viver essa experiência de novo.


A experiência socialista de Lula e Dilma foi imensamente melhor, incomparável, principalmente para os mais humildes, que simplesmente morriam de fome, aos milhões.


Para aqueles mais jovens fica muito difícil avaliar e fazer o julgamento: comparar os dois modelos.  Talvez por isso, muita gente se ache no direito de querer viver todas as experiências anteriores:
1 - Ditadura dos Militares
2 - Neo-Liberalismo de FHC


Essas pessoas curiosas pelo passado, que chamamos de "coxinhas", não tem culpa de sua ignorância.  Não viveram essas experiências e portanto acreditam naqueles que viveram -essa experiência- do lado conveniente: a elite que se aproveitava do povo. 


Cabe avisá-los que uma pescaria é uma experiência muito boa, maravilhosa, desde que você não seja... o peixe!


 By Mico-Leão-Dourado
//Luiz Carlos Tollstadius


 #StopCoupinBrazil

sábado, 23 de abril de 2016

Golpe no Brasil tem Pano de Fundo Mundial


Golpe no Brasil tem Pano de Fundo Mundial
Todos sabemos que o Golpe no Brasil não é coisa isolada do panorama Mundial.  E neste últimos dias, essa característica internacional do Golpe está no centro das discussões.  

Começando pela coletiva, aqui no Brasil, que Dilma deu aos correspondentes Internacionais, após votação na câmara.
Passando pela viagem da Presidente a NY onde acontece uma Assembleia Geral da ONU, e culminando com promessas de boicotes de vários órgão e nações, entre eles Rússia e China.

Fica muito claro, que haverá grande oposição estrangeira, antes do golpe, e ainda maior caso se concretize. 

Quem são os atores e qual o papel de cada um???

Seria bom ilustrar o caso, contando o que aconteceu com minha vizinha:  Ela largou o Marido, e foi viver na casa de uma amiga que incentivou a separação.  A amiga já disse, que ela (minha vizinha) pode ficar por lá uns 6 meses, mas depois terá de ir embora.  

O mesmo acontece na Europa, os EUA aconselham que os países europeus devem cortar laços econômicos e políticos com a Rússia.  E que devem tentar ficar independentes do gás russo.  E por enquanto até oferece algum apoio e compensação.  Mas...  por quanto tempo durará o apoio americano?  E quando esse apoio acabar?  Como ficarão as coisas?

Existe um grande projeto de se fazer um gasoduto alternativo, passando pelo oriente que substituiria o fornecimento de gás russo.  E a maiorias das guerras alimentadas pelos EUA naqueles países petrolíferos, auxiliado aqui e ali por alguns países europeus tem esse pano de fundo: a construção de um gasoduto.

As promessas aos europeus é essa:  
Vocês vão se livrar da Rússia (da dependência do gás)!

Até agora, no entanto, a única coisa que a Europa tem recebido dessa aventura é uma onda gigante de refugiados das guerras que ajudam a produzir junto com os EUA.  Nenhuma gota de petróleo ou gás!

Alguns países da Europa já desembarcaram dessa fábula e entenderam que é muito mais lucrativo, lógico e prático, aumentar ao invés de diminuir seus laços com a Rússia e também com os BRICS.

Os americanos nunca deram a nenhum país mais que promessas.  Mas o países que tem feito aliança com os países BRICS tem obtido muito mais do que isso.

Mas que significa toda essa confusão, essa crise mundial? 

Significa apenas que os EUA não estavam preparados para o inevitável:
 Perder a Hegemonia Mundial, perder o poder da Liderança Única.  Agora tem que compartilhar essa liderança; somente isso.


RECADO FINAL
Caso o Golpe dê certo, O Brasil não vai contar mais com a ajuda dos países BRICS, e isso seria terrível para nossa economia.  Muitos boicotes virão por aí, não é bom arriscar.


By Mico-Leão-Dourado
//Luiz Carlos Tollstadius


 #StopCoupinBrazil

quinta-feira, 21 de abril de 2016

TEMER SERÁ IGUAL A AÉCIO, UMA MISS COLOMBIA?

TEMER SERÁ IGUAL A AÉCIO, UMA MISS COLOMBIA?

Aconselha-se a oposição a não agir como Aécio agiu: cantar vitória antes do tempo.

 

Tudo bem, "perdemos" o primeiro turno do impeachment, e o Golpe evoluiu. 
E até que não houve muita surpresa nisso, afinal já era sabido que o presidente da Câmara e seus aliados usariam o Impeachment como escudo, para se proteger. 


E caso o STF não fizesse nada (e não fez), essa seria sua tábua de salvação.

 

Mas isso não garante que será obtido o mesmo resultado no Senado.  
Não se pode imaginar uma simples repetição por conta de uma falsa igualdade de situações.  
Como já disse o Cantor Roberto Carlos: 
Daqui para frente, tudo vai ser diferente!

De forma alguma as coisas estão definidas, o julgamento sequer começou. 

A decisão da câmara terá influência nas decisões do Senado?

Podemos qualificá-la como um pré-julgamento?

https://www.facebook.com/695030850533322/photos/a.695387950497612.1073741828.695030850533322/1049309298438807/?type=3&theater
E a opinião pública?
A vergonha alheia que o povo sentiu? 
E o noticiário internacional, que viu no "carnaval" um "golpe"?
E a denúncia de Dilma na ONU?
Tudo será levado em conta lá no Senado. Logo a decisão da Câmara não é uma prévia, não é um pré-julgamento a ser confirmado.

A autorização "vitoriosa" da Câmara para o Impeachment  perde seu valor, dia após dia.  E perto do julgamento -em setembro- já não terá importância. Nem será lembrada, e se o for, como vergonha a ser reparada.

Em setembro, com o aproximar das eleições de outubro, todas as forças políticas se reagruparão em direções diferentes, não serão -como agora- convergentes.

 
E isso muda tudo, pois foi por conta dessa convergência política momentânea, com o desembarcar do PMDB da base governista, que foi possível essa "vitória".

https://media.giphy.com/media/l41YneFXU6d2w2Cek/giphy.gifNum novo cenário, em setembro, numa nova casa, sendo que o julgamento será presidido por Renan e Lewandowiski...  E face a repercussão internacional que o caso vem tendo e ainda da imensa desaprovação interna da população...    parece excesso de otimismo da oposição dizer que tudo vai se repetir.   
Perceba-se que no dia seguinte a votação da Câmara, passada a euforia, já havia sinais claros de que cada um começaria a construir sua própria  agenda e coligações com vistas as eleições que se aproximam rapidamente. 


Pode até acontecer, mas comemorar com antecedência fará que Temer (usurpador) se iguale ao Aécio e se transforme numa "Miss Colômbia".

Muita calma nessa hora, 
muita água vai passar, ainda, debaixo dessa ponte chamada "Golpe".
http://internacional.elpais.com/internacional/2016/04/18/actualidad/1461013302_868048.htmlE até o STF, por enquanto omisso, poderá fazer alguma coisa, poderá sair da letargia e reagir a tempo e acabar com o Circo 
Não gastem seus confetes!

 By Mico-Leão-Dourado
//Luiz Carlos Tollstadius


 #StopCoupinBrazil

sábado, 16 de abril de 2016

STF PODERÁ REVERTER O GOLPE E ACABAR COM A SURUBA!

QUAL O PAPEL DO JUDICIÁRIO NO IMPEACHMENT????
 

Após votação de domingo, caso aprovado, tudo recomeça no Senado e por maioria simples, os Senadores poderão arquivar o impeachment. Mas digamos que não arquivem e decidam  pelo impeachment.  Cabe recurso??? 


O STF poderá rever e corrigir a decisão???  Entrará no mérito decidido pelo Senado????  Qual o papel do Supremo???

Na Corte Suprema, alimentada por Gilmar Mendes, cresce a opinião de que o Judiciário não deva se intrometer nos assuntos do Legislativo quando o tema é impeachment. 


Querem (Gilmar e outros) nos fazer crer que afrontaria ao princípio fundamental da divisão e harmonia dos Poderes. 


Mas como poderia o exercício correto e legítimo de um poder, dentro de suas prerrogativas constitucionais ser uma afronta??
Afronta seria se omitir e se encolher num canto, se fazendo alheio de sua própria e peculiar função, num momento tão grave para o País!  

Não é hora de omissão, ao contrário, é hora de cada um cumprir o seu papel, cumprir com sua missão.

Para alguns, não é assim,  e consideram que a única forma do STF interferir, seria pedir após votações de domingo, antes de qualquer pronunciamento ou decisão do Senado, que essa Magna Corte se pronunciasse, e opinasse colaborativamente sobre a validade Constitucional.


E que essa colaboração se desse, não na forma de decisão, que sabidamente cabe ao Senado, mas na forma de esclarecimento para subsidiar os julgadores(senadores).  Tal como faz o TCU ao encaminhar seu parecer ao Senado, quando da apreciação das contas.  


O STF, poderia ser provocado a emitir parecer especifico sobre constitucionalidade ou inconstitucionalidade do impeachment,  e atuando passivamente, prestar o esclarecimento, elucidando muitas das atuais dúvidas sobre a legalidade constitucional.  Tal pedido poderia brotar inclusive do próprio Senado.


Ainda que -por dever ético- a Corte evite avaliar se Dilma teve culpa, se as provas consideradas são válidas ou se as chamadas “pedaladas fiscais” configuram crime de responsabilidade,  poderia contribuir fora do caso concreto, de forma abstrata sobre a Legalidade Constitucional, disso não poderia se escusar. 


E isso não configuraria prejulgar ou deferir sobre o mérito. 
SERIA APENAS CUMPRIR COM SEU PAPEL TRADICIONAL E CONSTITUCIONAL.

O papel do tribunal, do Supremo (tradicional e constitucional) ficaria prejudicado se a corte se limitasse a somente analisar a correção da parte formal da tramitação do processo. Essa atuação limitada e burocrática não lhe convém.  A fiscalização da correção e da legalidade restrita a poucos aspectos apequenaria o Supremo.



Não podemos ver isso de forma dual e maniqueísta:
possibilidade 01 - Condenar Dilma
possibilidade 02 - Absolver ou reverter uma eventual condenação de Dilma.

Se apenas o destino da presidenta estivesse em jogo, caberia ao Supremo ser mínimo, não interferir, deixar tudo por conta do Senado. 

Mas a constituição prevê sua participação plena nesse processo de impeachment.  Tanto que designa que o Ministro-Chefe do Supremo presida o processo no Senado.

A questão não é só o mandato de Dilma, que por si só já seria coisa gravíssima.  Trata-se de preservar a Constituição e a Democracia, que eventualmente poderão ser aviltadas caso o Supremo restrinja seu papel, e deixe o Congresso agir na ilegalidade.


Seria como se um policial de esquina ao ver um ladrão cometendo um assalto, olhasse para o outro lado.


Dentro de um processo normal, conduzido por um Presidente da Câmara que não fosse Eduardo Cunha, e que não houvesse uma quadrilha enorme ao seu lado, e a Presidenta tivesse alguma culpa grave comprovada, o Supremo poderia agir assim, não interferir.

Mas não é esse o caso!
Nessa realidade específica, quando 95% dos congressistas pró-impeachment tem processos de corrupção no próprio STF, inclusive Cunha, que se arrastam no tempo. Não cabe ao supremo se abster e deixar de dar sua opinião, isso é o mínimo que poderia fazer.

Pode o STF permitir que um presidente (Cunha) da Câmara Federal, gravemente denunciado e com provas robustas de corrupção sistemática, dirija e organize o processo de impeachment de uma presidente sob a qual não pesa nenhuma acusação?
http://www.conversaafiada.com.br/brasil/pode-um-juiz-federal-fazer-isso-impunemente

De fato, se para alguns, a única forma do Supremo interferir, seria a Corte se pronunciar sobre a validade Constitucional, antes da decisão do Senado.  Existem outros que entendem, que cabe sim, ao supremo, rever a própria decisão do Senado, se ela vier a existir.


 Talvez não revisar sobre o mérito ou decisão política, mas sobre outros aspectos tais como legalidade constitucional (abstrata) e falta de materialidade (prova).  E ainda muitas outras falhas legais, questões de natureza processual e jurídica, inescapáveis da sua obrigatória supervisão e competência.  

É certo que não é cabível a interferência de um poder sobre o outro, mas isso, como tudo na vida, tem limites.  Não poderá o Legislativo, ou qualquer dos outros poderes atentar contra a constituição.  E o próprio impeachment  é  a prova disso.  Pois o impedimento de um presidente é justamente isso: A atitude do legislativo (auxiliado pelo judiciário) limitando possíveis excessos do executivo.  



‘Em substância:exercendo atribuições políticas, e tomando resoluções políticas, move-se o poder legislativo num vasto domínio, que tem como limites um círculo de extenso diâmetro, que é a Constituição Federal. Enquanto não transpõe essa periferia, o Congresso elabora medidas e normas, que escapam à competência do poder judiciário. Desde que ultrapassa a circunferência, os seus atos estão sujeitos ao julgamento do poder judiciário, que, declarando-os inaplicáveis por ofensivos a direitos, lhes tira toda a eficácia jurídica.’           PEDRO LESSA 
(‘Do PoderJudiciário’, p. 65/66, 1915, Francisco Alves)

Se não pudesse um Poder limitar outro Poder 

Então não poderia -também- haver o Impeachment!

Caso o Judiciário não pudesse limitar o Legislativo,
também o Legislativo não poderia limitar o Executivo,
nesse caso então (de falta de limites): 
Não haveria a questão do impeachment.

NÃO PODE é estorinha do Gilmar Mendes para boi dormir! 
O SUPREMO PODE SIM BARRAR O GOLPE
E TAMBÉM MANDAR PRENDER O CUNHA! 
Pior se ficar provado que houve compra de votos!
http://www.viomundo.com.br/voce-escreve/emanuel-cancella-citar-a-familia-era-a-senha-para-os-golpistas-terem-acesso-a-mala-de-propina.html
QUE TAL COLOCAR TEMER, CUNHA, SERRA, AÉCIO, FERNANDO HENRIQUE
E TODA TROPA DE GOLPISTAS QUE 

COMPRARAM O IMPEACHMENT DE DILMA 
ATRÁS DAS GRADES,  ANULAR O GOLPE
E TAMBÉM ANULAR A  INDICAÇÃO DO ALEX AO STF.




O STF, mesmo com eventuais falhas, é e sempre será a 

última trincheira na defesa da Constituição e da Democracia.

 O Supremo nesse momento tão grave de nossa história recente,
DEFENDERÁ A NAÇÃO BRASILEIRA, 
saberá exercer o seu papel!  NÃO SE EXIMIRÁ!
(apesar de você, Gilmar.)

  By Mico-Leão-Dourado
//Luiz Carlos Tollstadius


= ========================================================

JÁ PASSOU DA HORA DO SUPREMO 
AGIR BARRANDO ESSE GOLPE E 
COLOCAR O CUNHA NA CADEIA!

Vem,  vamos embora que esperar não é saber
Quem sabe FAZ NA HORA 
NÃO ESPERA ACONTECER!

Inadmissível Perder (ou mesmo ganhar) 
essa Guerra contra o Golpe sem que o
SUPREMO NÃO TENHA 
DISPARADO NENHUM TIRO!

CONTINUANDO ESSAS OMISSÕES
PODEMOS CONSIDERAR QUE O STF
É PARTÍCIPE DO GOLPE PORQUE 
POR NADA FAZER, ENDOSSA A FARSA! 


Lewandowski reitera: (Leia Aqui)

STF pode analisar mérito do impeachment 

 

STF pode cassar decisão do Congresso sobre impeachment, diz especialista (Leia aqui)



http://www.brasil247.com/pt/blog/emirsader/282405/O-golpe-que-o-dinheiro-comprou.htm

http://www.jornaldacidadeonline.com.br/noticias/5161/a-dramatica-situacao-do-stf-nao-prende-ninguem-protege-politicos-indeniza-bandidos-e-solta-assassinos

Me lembro de uma gravação do tal paulinho da força, dizendo que havia gente querendo bancar o impedimento da presidente. Nessa mesma gravação ele dizia que o impedimento só estava ocorrendo por conta do cunha, que se dedicara totalmente.
http://jornalggn.com.br/noticia/temer-e-a-pouca-vergonha-de-nossos-tempos-por-eugenio-aragao

http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/245043/Impeachment-de-Dilma-%C3%A9-golpe-de-Estado-conclui-Tribunal-Internacional.htm

https://limpinhoecheiroso.com/2017/02/26/osmar-serraglio-novo-ministro-da-justica-pediu-anistia-para-eduardo-cunha/



Sobre crime de responsabilidade que pode gerar o Impeachment diz o art. 37 da CF :

“§ 4º os ato de improbidade administrativa importarão a suspensão dos direitos políticos, a perda de da função pública, a indisponibilidade dos bens e o ressarcimento ao erário, na forma e na gradação permitida em lei, sem prejuízo da ação penal cabível”.

Só se Dilma tivesse "Roubado Dinheiro Público" poderia sofrer o impeachment, ter direitos políticos cassados, bloqueio de bens,  ressarcir o erário, e sofrer ação penal.  

MAS ELA NÃO ROUBOU NADA!
NADA FOI IMPUTADO A ELA NENHUM ATO QUE CONFIGURASSE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA, PORQUE NÃO EXISTIU ROUBO E NEM DOLO.

NÃO FOI IMPEACHMENT - FOI GOLPE - COMO ALIÁS FICOU BEM CLARO PARA ROSA WEBER DO STF!
IMPEACHMENT INVÁLIDO E FRAUDULENTO
.
OU #STF Invalida o Impeachment, ou as #FFAA devem, mesmo #intervir e fazer cumprir uma rigorosa missão, para livrar a #nação dos #corruptos, promovendo #novaseleições e uma verdadeira e implacável #CAÇA aos parlamentares e Ministros CITADOS na #LavaJato.
O que rola nos bastidores da #notícia é de dar #NOJO
Quem teria dado #dinheiro a #TEMER, para a compra dos 140 deputados corruptos e safados que venderam seu voto naquele ato circense e INVÁLIDO (NULO)....

Jornalista português Miguel Souza Tavares disse em comentário na TV que está espantado com o nível da política brasileira, após ver o show de horrores transmitido ao vivo na votação do impeachment na Câmara, sob comando de Eduardo Cunha: 

"Nunca vi o Brasil ser tão baixo. O que se passou no Congresso brasileiro ultrapassou tudo o que existe
Não é discutível. Foi uma assembleia geral de bandidos comandada por um bandido chamado Eduardo Cunha, fazendo a destituição de uma presidente sem qualquer base jurídica nem constitucional."

http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/227828/%E2%80%98Uma-assembleia-geral-de-bandidos-comandada-por-um-bandido%E2%80%99.htm




http://www.brasil247.com/pt/blog/alex_solnik/282189/O-impeachment-comprado.htm

quinta-feira, 14 de abril de 2016

STF DIZ QUE JOVAIR FEZ CERTO EM LINHAS TORTAS

http://www.brasil247.com/pt/247/rio247/226185/Regente-do-golpe-Cunha-levou-propina-de-ROu seria: 
JOVAIR ESCREVEU TORTO POR LINHAS RETAS ???

Foram 3 julgamentos no Supremo que revisariam o caminho proposto por Cunha para a votação do relatório do impeachment produzido por Jovair, na câmara dos deputados.  O Supremo não apreciou o mérito do IMPEACHMENT,  pois esse será apreciado no Senado. 

O que estava em questão, nesses 3 julgamentos,  era o método de votação, a nulidade do relatório por incluir fatos alheios na denuncia inicial (delação de Delcídio, fatos anteriores ao mandato), e ainda a negativa de manifestação da defesa quando da leitura do relatório.

O STF foi provocado para estabelecer liminar, suspensão, cassação..

Mas não encontrou as alegadas inconstitucionalidades, que até podem ter acontecido, mas não estavam bem indicadas e provadas nas peças acusatórias.  E o Supremo, no fim das contas, só poder julgar em cima do que recebe, do que é provocado.

Dada a fragilidade jurídica do que foi apresentado, o Saldo foi o seguinte: 

Não foram aceitas nenhuma das teses! 

 tudo ficou como dantes no quartel d´Abrantes

Não ocorrerá a suspensão das votações, que ocorrerá dentro do regimento que não foi considerado inconstitucional, e o relatório de Jovair apesar de imperfeito foi aceito.

A votação ocorrerá dentro do Regimento da Câmara (com ajustes), e o relatório foi considerado válido e coerente com a denúncia.  As acusações  adicionadas  após a denuncia inicial foram consideradas como "contexto" no relatório. 

No entanto, dentro desse entendimento de que as denuncias foram adicionadas somente a guisa da contextualização dos fatos, ficou acertado que esses extras não poderão servir de base para a votação de domingo.  E mais, não poderão ser enviados ao SENADO, na hipótese de que o processo lá se instaure.

A Câmara só acolhe e encaminha eventual denúncia (decidida em votação), daí que não se pode alegar cerceamento da defesa nessa fase prévia, já que inexiste um processo.  Mesmo assim, foi dito que houve espaço para o contraditório, e que a defesa do AGU conseguiu seus objetivos, impressionou os deputados.

É certo que a parte acusada deveria ter sido ouvida também quando da leitura do relatório, já que os acusadores o foram. E que também a votação dos deputados acontece em cima do relatório produzido pela comissão e não em cima das denúncias.

Por conta disso, que  Lewandowiski e Marco Aurélio foram favoráveis que o relatório de Jovair fosse novamente apresentado, para que suas falhas pudessem ser expostas pela defesa, mas foram votos vencidos.

Dilma não será afastada caso o impeachment passe pela Câmara

Apesar da aparente derrota do governo, ficou claro que só valerão na votação na Câmara, e num possível julgamento no Senado, apenas duas acusações de caráter contábil orçamentário.  Que sequer estão comprovadas.


Nada relativo a corrupção!  
Mesmo que a Câmara envie o relatório para julgamento no Senado, não há crime de responsabilidade.  Crime de responsabilidade contra lei orçamentária é totalmente diferente de crime de responsabilidade contra a constituição! 
  
E mesmo que o Senado decida pelo impeachment, cabe recurso, e o STF poderá rever e corrigir a decisão. 


Ficou reafirmado, também,  que a Presidente não poderá ser afastada pelos tais 180 dias.  

O Supremo entendeu, em dezembro, que o Senado Federal tem o poder de decidir se instaura ou não o processo de impeachment após a Câmara "autorizar" a abertura do processo.

Dilma não será afastada caso o impeachment passe pela Câmara: o afastamento só acontecerá se o Senado der prosseguimento ao pedido.


Por fim, ficou a declaração de Lewandowiski (presidente da casa) de que...
"Supremo Não Fechou a Porta a Questões Sobre Impeachment"

Com base nessa promessa, que o jornalista Rubens Glezer, do Estadão faz profecia ao dizer que "ao não interferir agora, o Supremo resguardou o Capital Político de sua legitimidade".

Oscar Vilhena e Eloísa Machado na Folha de S.Paulo observam que o STF "parece ter deixado claro, ao menos por enquanto, que quando o tema é impeachment, a sua intervenção será minimalista".

  By Mico-Leão-Dourado
//Luiz Carlos Tollstadius

quarta-feira, 13 de abril de 2016

"Golpeachment" terá Efeito Dominó!

Brasil poderá ter Efeito Dominó!

Recentemente, num piscar de olhos através de um "Golpeachment", o presidente Paraguaio Fernando Lugo foi deposto do poder pela direita de seu país, numa conspiração do Congresso.

Numa impressionante estratégia golpista, congressistas acusaram Lugo de incentivar ocupações de terras e o dos violentos confrontos decorrentes da disputa entre campesinos e as forças de segurança.


Nessa rápida farsa, o Senado deu ao Presidente Lugo apenas duas horas para se defender de um processo público.

Os advogados de Lugo até solicitaram provas e mais tempo para discutir as falsas acusações, mas os pedidos foram rejeitados pelo presidente do Senado.

Então, numa virada da direita, o Vice-presidente Federico Franco assumiu a presidência. 

O Brasil, que faz fronteira com o Paraguai, expressou desagrado sobre esse ato antidemocrático do país vizinho, e foi só isso.

Dilma é considerada uma alma gêmea ideológica de Lugo, também foi eleita com promessas de diminuir desigualdades sociais e distribuir melhor, aqui no Brasil, a posse da terra. 

Se o ex-bispo, Lugo, defendia doutrinas progressistas como "Teologia da Libertação" dentro da Igreja Católica. Dilma repete isso, mostrando afinidade com o Papa Francisco e com o Frei Leonardo Boff, ambos também adeptos da "Teologia da Libertação".

Embora Lugo e Dilma, tenham muito em comum, em termo de opção pelos pobres, programas sociais e  ideais socialistas, nosso governo aceitou o novo presidente golpista.

O Brasil recebe energia elétrica da enorme represa de Itaipu localizado na fronteira Brasil-Paraguai, e esse foi um dos motivos. Afinal a barragem é de propriedade conjunta por ambos: Brasília e Assunção.  Existem ainda outras questões além da energia, segurança das fronteiras, por exemplo. 

Dilma não cortou os laços com o novo regime golpista de Franco, por milhões de motivos, todos válidos, e de certa forma inevitáveis.  Mas o fato é que endossou o Golpe!

Além disso, sua afinidade ideológica com Lugo, foi limitada pelas forças políticas da direita conservadora dentro de seu próprio país.

Tentou agradar gregos e troianos.

Nessa tentativa de coalizão (nacional e internacional), Dilma para poder governar, por exemplo,
se aproximou de China e Rússia mas manteve parceiros econômicos ocidentais. Em nível interno, afagou MST e Kátia Abreu ao mesmo tempo. 

Resta saber com quem poderá contar nesse momento de crise, quem são seus verdadeiros parceiros.  Será que a bancada rural de Katia Abreu (Câmara e Senado) vai apoiá-la, ou se terá que contar somente com o MST.  Quais países serão solidários ao seu governo?


Afinal, agora, ela que é a vítima de "Golpeachment"!
 
No fim das contas, mesmo que tenha tentado agradar a direita, para conseguir governar, talvez esteja sendo traída por ela.  Se assim for, se seu esforço de coalizão não foi valorizado, ninguém vai conseguir governar o país, pois o mesmo estará sempre dividido ideologicamente.  

você votaria nessa dupla?

https://www.brasil247.com/pt/247/poder/226293/Lindbergh-voc%C3%AA-votaria-nessa-dupla.htm
Não acredito que outro governo qualquer possa fazer isso melhor. Temer ou Cunha, com certeza não conseguirão ser mais democráticos ou republicanos.

Deveríamos seguir o conselho de Dilma:

UMA AGENDA DE PACIFICAÇÃO NACIONAL!
Repactuação para superar a crise e retomar o crescimento econômico do País. Arquivar logo o impeachment,  para cessar a desestabilização,  e tentar um grande pacto nacional.  

Ou fazemos isso, ou embarcamos numa aventura na qual estaremos fadados a quedas sucessivas de governos, como dominós enfileirados: ou seja o Caos (ingovernabilidade).
 
Sem contar uma possível Guerra Civil!



 A violência e o ódio só se materializam quando uma das partes se sente mais forte que a outra.  Quando há um aparente predomínio de um dos lados, aquele que se acha mais poderoso, se acha também no direito de usar a força.  Nesse caso a Virtude do Governo Dilma foi também seu maior Pecado.

Numa tentativa generosa de coalizão de forças, Dilma, Lula, Cardozo e o PT se mostraram tolerantes e democráticos demais.  E essa aparente fragilidade do PT e do Executivo, é que empoderou a direita.  Os conservadores acharam que podiam tudo e começaram a expressar sem receio todo seu ódio, preconceito e intolerância.

É preciso que ambos os lados (direita e esquerda) reconheçam suas limitações e o equilíbrio do poder e parem com o enfrentamento:
NINGUÉM VAI GANHAR COM ISSO! 


 By Mico-Leão-Dourado
//Luiz Carlos Tollstadius


P.S. 


“A campanha do impeachment, que o governo descreveu corretamente como golpe, é um esforço da elite brasileira tradicional para obter por outros meios aquilo que não conseguiu conquistar nas urnas nos últimos anos”, afirma Mark Weisbrot

“Seria lamentável perder a democracia com este golpe sórdido”

“Tenho certeza que os brasileiros estarão ao meu lado e no dia 17 nós vamos vencer a batalha contra golpe. Vamos vencer essa batalha contra o impeachment sem base legal”  (Dilma)

 “Digo qual é o meu primeiro ato pós-votação na Câmara. A proposta de um pacto, de uma nova repactuação entre todas as forças políticas, sem vencidos e sem vencedores”,

“A partir da próxima semana, com essa página virada, vamos iniciar a repactuação para superar crise. Um grande pacto com diálogo nacional com todos os segmentos, com todos aqueles que querem um Brasil melhor"   (Dilma)

quarta-feira, 6 de abril de 2016

Brasil Não quer se Divorciar de Dilma

Brasil Não quer se Divorciar de Dilma

http://micoleaodourado.blogspot.com.br/2016/03/impeachment-doido-juridiques-da.htmlSegundo Cardozo (Advocacia Geral da União) as prerrogativas presidenciais contidas na Constituição, antes de serem um privilégio pessoal, constiuem mecanismos que preservam a estabilidade necessária ao Estado e ao Governo.  Essas "garantias" não existem na Carta Magna para proteger o Chefe de Estado (também Governante), visam preservar as Intituições Nacionais e o funcionamento do País, um bem maior.

Dentro dessa lógica constitucional, uma ruptura de governo é algo extremamente danoso, perigoso e maléfico.  Praticamente inadmissível, sendo coisa apenas possível em função de caso gravíssimo: um atentado a Constituição.  O impeachment não poderá se realizar por qualquer irregularidade ou crime menor.
Assim como o Divórcio está para o Casamento, está o Impeachment para um Governo Presidencial, num estado democrático de direito.  Não poderá ocorrer a DIVISÃO, RUPTURA, SEPARAÇÃO, ESFACELAMENTO sem um fato que o justifique plenamente.


Na época que o Mestre Jesus andava nessa terra, os Judeus tinham o costume de dar carta de divórcio quando estavam insatisfeitos com suas mulheres, mesmo que não houvesse por parte dessas mulheres nada que a desonrassem, nada de errado na sua conduta.
Esse comportamento se baseava na existência de base legal na legislação de Moisés.  Nas leis Mosaicas havia essa previsão: que o homem prejudicado, ou que se sentisse assim, poderia despedir a mulher.


Então vieram ter com Jesus, para provocá-lo, testá-lo, e fazer que dissesse algo contra a Lei de Moisés, para então acusá-lo e assim poderem matá-lo.  Sabiam que Jesus haveria de ser contra que um homem mau abandonasse uma mulher justa, só porque a lei dizia ser possível.


"Jesus,  

poderá o homem por qualquer motivo dar carta de repúdio a sua mulher, como manda a Lei de Moisés?  Ou será impedido disso?  O que dizes?"

 

Ao que Jesus respondeu:

"No início, antes da Lei de Moisés, não era assim... Deus criou a dupla matrimonial para viverem até o final juntos, sem divisão ou separação.  Mas por causa do homem (e da mulher) não honrarem a união adequadamente, considerou Moisés prever uma saída (um escape) para casos em que houvessem grandes danos.  Então a Lei existe mas nunca deverá ser usada, exceto para casos gravíssimos, e para esse propósito foi pensada por Moisés."


http://www.conexaojornalismo.com.br/audiencia_na_tv/chico-pinheiro-e-o-primeiro-jornalista-da-globo-a-denunciar-o-golpe-86-43360
 

Jesus entendeu que os fariseus sabiam que a Lei de Moisés foi criada para uma determinada e justa situação, mas que, por egoísmo estavam todos desvirtuando o espírito da Lei: desrespeitando o Grande Legislador Moisés.

 

Antes de um casamento, costuma-se dizer: 


"Se alguém tem algum segredo ou sabe de alguma coisa contra esse casamento, que o diga agora ou cale-se para sempre".


Assim, uma diplomação, após realizada, não admite que fatos pretéritos possam ser evocados.  Do mesmo modo, após diplomação presidencial, não poderão ser invocados/evocados falhas ou crimes alheios ao mandato, alheios aquele exercício.


A união, coesão, colaboração costuma ser sinérgica, multiplicadora e proveitosa.  Porém a discórdia, desunião, divisão é coisa do "diábolos" ou "diabo".  (Turma do quanto pior: melhor!)


No caso em questão, essa tentativa de impeachment por conta de "pedaladas fiscais"... é pura farsa! Conspiração que pretende anular o resultado das eleições e acabar com a democracia.

Esses farsantes dizem que Crime de Responsabilidade 
(Atentado Grave Contra a Constituição) é o mesmo que
descumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal.
São coisas totalmente diferentes!
O segundo sequer é crime, é infração, e a penalidade definida seria de natureza financeira: multa.


Obs: Revela-se a mentira dizendo que a Constituição é anterior a essa a Lei de Responsabilidade Fiscal, e portanto não poderia estar se referindo a essa lei, que lhe é posterior. 
Uma lei posterior, ordinária, não poderia redefinir o que está bem definido na constituição. Não se pode falar de leis produzidas após a constituição e dizer que a constituição se refere a elas.

Ainda dizer, que Lei Orçamentária e Lei de Responsabilidade Fiscal, são coisas distintas, que foram propositadamente misturadas para produzir uma grande lorota! 
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=130726313992307&set=p.130726313992307&type=3&theater 
O que temos na verdade, 

é uma quadrilha, de 200 ou 300 picaretas (bandidos), que querem Dilma de fora, para não atrapalhar suas falcatruas.   


Portanto usam de argumentos fajutos, porque não acharam nada contra a Presidente para poder incriminá-la.

Impeachmente sem crime é Golpe! 


NÃO VAI TER GOLPE!  DILMA FICA!  CUNHA SAI!
panamá papers vai levar todos eles!

 By Mico-Leão-Dourado
//Luiz Carlos Tollstadius