segunda-feira, 21 de novembro de 2016

A Burrice no Governo de Temer

A Burrice no Governo de Temer
Todos Homens - Todos Velhos - Todos Brancos - Todos Iluminados

Sempre existe o perigo do homem ordinário com poder extraordinário
E que perigo é este??? 
É o seu pensamento simplista de que 2 +2 é sempre igual a 4.

Vamos dar um exemplo: 
Digamos que queiramos acabar com a diabetes no Brasil, seria a solução matar todos os diabéticos existentes? 
Claro que não.
Então porque os simplistas acham que matar todos os bandidos seria a solução para acabar com o crime?  
Porque seu pensamento é simplista ao invés de ser complexo.

O homem ordinário sempre oferece soluções simplistas para problemas complexos.  



Assim sendo, para essas pessoas, não há necessidade de estudos ou de consenso, a solução sempre é fácil e óbvia.  Não entendem porque as outras pessoas não a enxergam.

Os déspotas e tiranos se acham iluminados e desnecessitam de conselhos, pois seus achismos divinos são suficientes.  Assim, bandido bom é bandido morto.  E bandido você reconhece pela roupa, nem precisa investigar.  SE EU TENHO CONVICÇÃO PARA QUE NECESSITO DE PROVAS???
  

Se o problema é o orçamento, a solução também é simples: 
Só gastar menos.  
"Como é que alguém não entende isso" perguntam os parvos.

Se o problema é educacional...
É só alterar a grade curricular, "pronto tá resolvido!"



Bancos (BB e Caixa) pararam por 30 dias e "funcionaram"?  
Conclusão: 
Público é digital, não precisa de tantas Agências e nem de tantos funcionários. 

Ainda que o senso comum possa ser útil.  E que soluções simples possam algumas vezes atender a problemas complexos.  Sempre será necessário buscar um consenso e amadurecer as idéias.  

A pressa não é boa conselheira!

Decisões sobre assuntos de relevância devem ser debatidos com toda sociedade.  Principalmente aqueles que podem refletir de forma direta e imediata, com grande prejuízo, sobre as camadas populares.  

Afinal os governos são eleitos para representar todos nós, mas os mais desfavorecidos são os mais sensíveis. 




By Mico Leão
Tollstadius

Nenhum comentário: